Medo de dizer não, medo de dizer sim.

Luz de Luma, Yes party!
Gritem crianças!
Peçam ao papai do céu que atenda aos seus pedidos!

Reprimimos nossas crianças com nãos. Somos superiores e autoritários. Somos os mandatários, os donos da verdade, da palavra, os educadores.
Ah, não faça o que os outros fazem.

Aprenda a dizer sim para elas e não para os adultos que lhe exploram. Onde estão seus códigos de ética?

- Receio em falar coisas, se posicionar, defender sua forma de pensar e seus sentimentos, medo de magoar os outros. Isso tudo causa dificuldade de dizer ¿não¿ para a pessoa certa. Uma palavrinha tão pequena e tão complicada ao mesmo tempo.

Existe uma pesquisa entre os psicólogos que revela o porquê ferimos as pessoas que mais amamos e muitas vezes tentamos preservar as pessoas de fora, pessoas que não conhecemos direito, tentando atender seus pedidos e nunca falar não.

A razão é simples: temos certeza do amor dos nossos familiares por nós. Por isso, sentimos mais à vontade para magoá-los, dizendo coisas que ferem. Acreditamos no perdão incondicional que sempre vem deles.

Não deveria ser assim. O fato de sabermos lidar bem com nossas vontades em casa e não sabermos nos defender lá fora, não ajuda em nada. Será mesmo que as pessoas vão gostar menos da gente se, de vez em quando, negarmos um sim ou mesmo um favor? Nessas horas, saberemos quem se importa conosco, porque estes terão a capacidade de entender e nos respeitar também.

Você percebe como uma criança tem a capacidade de perdoar?

Este "não" pode trazer consequências pela vida afora. O sentimento de rejeição para a criança é mais forte que o seu, ou você gosta de receber "nãos"?

Estou pedindo para que mime corretamente sua criança. Tenha equilíbrio. Você não é pai/mãe? Não se importa com os filhos dos outros? Mas deve ter alguma criança aí no quarteirão. Já brincou de caretas com elas, é um excelente exercício facial.

Quanto aqueles que não sabem ouvir um "não", podemos ter certeza que por esse fato, não merecem nenhum "sim", pois não estão interessados em respeitar nossa pessoa, e sim usufruir da nossa boa vontade. Os famosos "sanguessugas", não fazem falta, muito pelo contrário.

As pessoas estabelecem seus próprios códigos de ética. Desde criança somos ensinados do que é certo e do que é errado e quando fazemos algo que decepciona nossos pais, eles se perguntam o que fizeram de errado. A resposta é nada. Afinal, ninguém disse que absorvemos tudo que nos foi ensinado por eles ou que foi decidido que devemos viver de acordo com o modo de vida deles.

Através de todas as experiências que tivemos, as ensinadas e as descobertas, fizemos uma seleção, passamos tudo pela peneira, escolhendo as regras que queremos seguir para viver bem. Cada um vive de acordo com aquilo que acredita, e embora a sociedade tenha uma ética universal, o que Emile Durkheim chamava de consciente coletivo (aquilo que é considerado por todos certo e errado), cada indivíduo cria seu próprio código de ética (consciente individual) determinando para si próprio o que é ou não correto fazer. E sendo assim, às vezes ferimos aqueles que possuem um código diferente do nosso, pode ser que sem intenção ou sem mesmo percebermos, afinal apenas agimos em função do que acreditamos ser normal.

E as mudanças nesses códigos? Como podem ser operadas? Se somos os legisladores e ao mesmo tempo os destinatários dessas regras, podemos mudá-las sempre que tivermos vontade, sendo que o normal é que essa mudança venha de novas formas de pensar e viver que vamos adquirindo. Mudar o ponto de vista é normal, selecionando o que acreditamos ser ético ou não.

É mais fácil nos tornarmos flexíveis quanto a esse novo código do que nos mantermos severos. Percebe que com o passar dos anos ficamos mais maleáveis com relação às crianças? A responsabilidade diminui? Não. O Amadurecimento ensina que só o amor constrói. Pareceu comum. Mas é, colocamos crianças no mundo simplesmente para amá-las.

A mãe de uma amiga diz uma coisa interessante: tenha a cabeça aberta, amplie seus horizontes, mas nunca faça concessões com seus valores. Mantenha a sua essência. Acho que ela estava errada; pois se não sabe fazer concessões, não tenha filhos. Se o mundo é mutante, porque não assimilar pensamentos junto aos pensamentos de quem convivemos? Com amor é difícil errar.
Luz de Luma, Yes party!
Eu espero que hoje o sol se ponha, espero que amanhã ele também se levante.
Espero que quando houverem partículas suficientes de vapor d'água nas nuvens, que então chova.
Bem sabem que não quero que chova, mas faço concessões.
É fácil esperar tais coisas pois em determinados aspectos a natureza se mostra previsível.
Até meu cão Max era bastante previsível. Mas as pessoas são estranhas.
Então imaginar e até querer prever o que os outros farão é um ingrediente fundamental da receita para o sofrimento inútil (sim, porque há o sofrimento útil).

*Alguns pais ao dizer não para o filho, sentem uma dor muito grande, porque o sim é mais fácil, é o caminho mais curto. Mas o "não" a que me refiro no texto, não é aquele que tem o intuito de educar, é aquele dado de maneira impensada, por falta de tempo, paciência e/ou coisas que levam a arrependimento futuro.

"As pessoas grandes são muito esquisitas", pensava o Pequeno Príncipe durante a viagem.

Tente dizer mais "sim" para quem você ama.

O post "Medo de dizer não, medo de dizer sim" apareceu primeiro em "Luz de Luma, yes party!". 

96 comentários :

  1. Realmente, falamos muitos não para as crianças e temos certo medo de dizer não aos adultos. Fazemos tudo ao contrário.
    Eu recebi tantos não quando era criança que hoje nem suporto ouvir essa palavra rs

    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Flavia!
      As pessoas que nos amam sofrem com os nossos não, enquanto não sabemos dizer não para os que não são do nosso convívio. Criança só precisa de explicação :D
      Beijus,

      Eliminar
  2. Luma, aqui em casa sempre incentivamos a leitura e graças a Deus deu certo. Bom feriado para você. Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Yvonne!
      Bom ter você por aqui!!
      Beijus,

      Eliminar
  3. Luma, eu penso que além do sim ou do não, nós devemos mostrar as razões para um ou outro. Explicar o motivo de não poder fazer tal coisa em tal momento. É assim que eu penso que deve funcionar.

    E eu ainda não fazia parte dos milhões de leitores do seu blog.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo, Issamu!
      Muitos pais dizem: "É não e pronto acabou!"
      :)
      Obrigada!!
      Beijus,

      Eliminar
  4. Ei Luma...recordar tb é viver...vale pelos os posts..rs
    Super beijo. E Feliz dia da Criança a todos nós!

    ResponderEliminar
  5. Oy Luma, um outro borne pensativo. Eu trato dos estudantes cinco dias por a semana, variando nas idades de 15 a 75. Eu tento suportar, mentor, ônibus, as.well.as ensino. E então eu vou para casa a meu bunker regroup! Feriado feliz e mais logo. Beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Erik!
      Você tem uma dura rotina e sabe muito bem como cuidar dessa gente em miniatura ou não.
      :)
      Um borne para pensar!
      Beijus,

      Eliminar
  6. Luma
    Quantas novidades hein?
    Acho que o melhor presente que uma pai pode dar ao seu filho é tempo de qualidade! Passaro o dia junto com o fiho brincando, jogando bola, soltando pipa...Enfim, passando tempo ao lado dele ou dela!
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade, Marcello!
      Não é a quantidade de tempo, mas o quanto a criança sente de dedicação no pouco tempo.
      Beijus,

      Eliminar
  7. Equilíbrio ,é isso Luma.Gostei muito deste post sobre a criança.Levo o selo e link para o meu blog.Parabéns.:))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Vitória!
      Precisamos de equilíbrio na educação dos filhos!
      Beijus,

      Eliminar
  8. Luma,

    Sem dúvida nenhuma seu blog é um dos mais bem escritos, com maior número de informação bacana, com conteúdo excelente e outros adjetivos mais, que leio sabia?
    Vc está de parabéns por merecer tantos prêmios, memes e outras cositas...
    Ô blog bão...
    Acredito que vc pode dizer um não, desde que ele tenha a forma correta de dizer e o motivo sensato...
    Aproveite bem seu feriado, e c urta a family...
    beijão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Alê!
      Seus textos sempre foram bacanas. Não vai voltar?
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  9. Lindo post, Luma. Criança é um tema inesgotável e cheio de beleza. Muito bom. Um feriadão muito gostoso e bem aproveitado, viu?
    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Adelaide!
      Aproveitarei!!
      Beijus,

      Eliminar
  10. Excelente o seu post, parabéns. E muito boa a resposta do Meme.
    Beijao!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Cyn!
      Fazemos o possível!
      Seu blogue está fora do ar, o que aconteceu?
      Beijus,

      Eliminar
  11. Luma, que saibamos educar nossas crianças sem repressões... Que saibamos antes de tudo o que é o amor e assim poder repassar da maneira certa essa lição.
    Beijo e bom feriado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Mel!
      Vamos pedir sabedoria e principalmente paciência. Quem escolhe ser pai, deve saber com antecedência de que está adquirindo um brinquedinho!
      Beijus,

      Eliminar
  12. Manter a essência é sempre uma boa escolha! Beijos e ótimo feriadão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Nanda!
      Se assim há de ser...
      Beijus,

      Eliminar
  13. Anónimo15:45

    Luma

    tem um premio te esperando no encanto!!!

    beijos e saudade!!

    elisabete cunha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oba!!
      Depois vou lá!
      Beijus,

      Eliminar
  14. Luma,
    espero não estra errada mas já te desejo Parab´nes antecipado(13 de outubro,acertei?).
    Li uma frase num livro que é assim:
    "EDUCAR NÃO É CORTAR ASAS, E SIM ORIENTAR VÔOS".
    Um forte abraço e tudo de bom.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, Jana!! Meu aniversário foi no dia 17 de Novembro. Mesmo assim, obrigada!! :) Beijus,

      Eliminar
  15. É importante mantermos nossas opiniões, sempre!
    Quem se preocupa muito com o que os outros pensarão, acaba perdendo tempo.



    Abraço

    ResponderEliminar
  16. Olá Luz!!! Olá Luma!

    Seu texto me levou até minha infância, anos difíceis. Escutei muitas vezes um "não", mas meus pais não tinham dinheiro mesmo. Eu sofria calado, enquanto meus amiguinhos não me emprestavam seus brinquedos novos. Quantas vezes chorei calado, mas não por raiva de meus pais ou de meus amiguinhos. Eu somente reparava que deveria crescer mais rápido que os outros para poder ajudar em casa.

    Hoje, eu olho para trás e sinto orgulho até da fome que passei. Hoje tenho até um livro publicado...
    rs
    Talvez seja ironia do destino.

    Mito bom seu texto. Fiquei alguns minutos tentando escrever e não sei se fui bem, pois voltei alguns anos da minha vida.

    Beijos e obrigado por ter me levado nesta viagem fantástica.

    Alexandre Hallais

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Alexandre!
      Compreendi perfeitamente. Você passou dificuldades e seus pais disseram não por não terem outra alternativa, ao contrário de pais que dizem não por dizer não, sem qualquer explicação. Você estava dentro da dificuldade, participava de uma família e se sentia dentro de uma equipe por entender que precisava trabalhar para ajudar. Mas veja, existem pessoas que não pensam assim e por causa da falta de comunicação, procuram por caminhos fáceis ou simplesmente abandonam o lugar onde estão.
      Parabéns pelo livro publicado e por ter entendido perfeitamente a mensagem que seus pais lhe passaram.
      Beijus,

      Eliminar
  17. Bom feriado prá você também. Infelizmente acho que não te conhecia na época deste post. Mas ele é lindo e nos diz muita coisa, principalmente o paragrafo: "porque ferimos as pessoas que mais amamos e muitas vezes tentamos preservar as pessoas de fora, pessoas que nem conhecemos direito, tentando atender seus pedidos e nunca falar não." Beijos do Hiran.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom que voltou, Hiran!!
      Também não lembro de antes, somente do agora! (rs*)
      Beijus,

      Eliminar
  18. oi!

    tant coisa no teu Blog que é preciso alguns meses para saber tudo o que se passa por aqui!

    esse post do dia da criança tá muito porreiro!

    adorei o post sobre che guevara, talvez romantico, mas lutava pelos seus ideais, algo que infelizmente não ocorre actualmente!

    já agora como chegaste ao meu blog?

    beijo fica bem
    *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Cris!
      Seja bem-vindo!!
      Foi através de amigos!
      Beijus,

      Eliminar
  19. crianças...
    tão simples e tão complicadas.


    ser pai deve ser algo difícil.
    mais do que se pode imaginar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Hélder!
      Bom que pense ser complicado, pois somente assim terá a prevenção de aprender antes de agir com uma criança. Um não pode doer a vida toda!!
      Beijus,

      Eliminar
  20. Bueno, que as crianças sempre estejam em primeiro lugar, né? Afinal, o mundo será delas. Bom feriadão. beijão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Afonso!!
      Beijus,

      Eliminar
  21. Ainda não era sua leitora... uma pena não sabia o que perdia... Amei o texto mesmo pq sou o tipo de mãe que dificilmente diz não... um grande beijo!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Krika!
      Seja bem-vinda!
      Não consegui acessar nenhum dos seus blogues!
      Beijus,

      Eliminar
  22. Dia das crianças é legal!
    Todo mundo sabe como dói um não!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece que alguns pais se esqueceram... rs.
      Beijus,

      Eliminar
  23. Desculpe, Luma,
    com certeza eu confundi a data por causa do post de 28 de setembro,do evento Blog camp MG 2007.
    Beijos, obrigada pelo carinho,beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode ser!!
      Tudo bem, queridona!!
      + Beijus,

      Eliminar
  24. Luma, oi
    Tambem amei seu blog e esta especial postagem sobre as criancas. Volte sempre, seja feliz e cuide bem das crincas, beijos.
    Lucia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Lúcia!
      Não sei o que está acontecendo hoje com o blogger...
      Beijus,

      Eliminar
  25. Que maravilha de post,.Liuma! As crianças merecem respeito, merecem que lhes sejam dados limites que as ajudarão na vida! beijos,chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Chica!
      São os pais que apresentam o mundo aos filhos. A visão que eles terão no futuro dependerá muito dos primeiros anos.
      Beijus,

      Eliminar
  26. Por isso gosto do Pequeno Prínicipe Luma. Ele ensina verdades com autenticidade e simplicidade. É como deveríamos ser, com todos, como nossas crianças.

    O "não" para limites é necessário. Aprendemos a ser mais gente ouvindo os nãos da vida. E a própria criança sente falta deles, mas concordo com você que deveríamos ser mais leves nos nãos aos nossos pequenos. Falar quando realmente há necessidade.

    Sim, a cabeça deve permanecer aberta, devemos ampliar todos os dias nossos horizontes para as mudanças que ocorrem naturalmente. O que talvez serviria para uma boa educação ontem, hoje já não pode servir. Acho que o mundo e nós mesmos, ganhamos e nos tornamos bem mais leves quando temos a cabeça voltada para as mudanças.

    Adorei o texto... Beijos grandes e abençoada quarta-feira!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Teresinha!
      O Pequeno Príncipe independe da idade e conforme o amadurecimento, novas mensagens captamos. É um livro atemporal!
      O não que digo é aquele dito à toda hora vindo de pais sem limites. Uma hora sim, outra hora não, conforme seu humor, a criança fica insegura. Uma vez não, sempre não e com coerência, conversas...
      Obrigada pelo comentário enriquecedor!!
      Beijus,

      Eliminar
  27. O não é um limite? Educar filhos fora da presença de Deus? Sem "temor" existe algum sentido para a vida? Sim, acredito que todos nascemos para sermos felizes, mas a nossa felicidade depende da felicidade dos outros principalmente dos adultos (pais e mães) quando somos crianças. O medo poderá diminuir ou aumentar? (Como será que eram as cabeças das crianças durante a primeira e a segunda grande guerra?) Para onde caminha nossos jovens com essas drogas modernas? Exitem limites... existem ideais? Somos estranhos dentro do ´próprio lar? Bom, existem mais perguntas do que
    respostas e acho que isso vai ficar assim bom um longo tempo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Gilberto!
      Viver à mercê de adultos que dizem sim e não sem medida, conforme o humor? Muitos pais consomem bebidas alcoolicas perto dos filhos, isso também não é limite. Adultos que fazem coisas sem pensar, não devem exigir tanto dos filhos!
      Beijus,

      Eliminar
  28. O que eu sei e sinto é que agora, mãe de um guri de 25 meses e da minha própria mãe de 78 (diziam as irmãs que ela teria além disso, mas faz de conta que nem mencionei isto!), vou até o limite do eticamente possível e da segurança de ambos evitando dizer um não diariamente. A vida é muito mais do que impor regras.
    Bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Luciene!
      Lembro de minha irmã que tinha de fazer vista grossa com minha mãe, quando essa decidia a educação da minha sobrinha. Minha mãe se achava mais mãe do que a própria mãe. Daí a minha irmã ficava num beco cheio de cachorros!! :D A vida é mesmo muito curta! Atualmente a minha mãe já não está mais cá com nós e a minha sobrinha é a que mais sofre!
      Beijus,

      Eliminar
  29. Luma
    Seu texto é muito interessante. Reflexivo. Acho difícil dizer tanto um não quanto um sim para as crianças. A cada década mudam os valores. Aprendemos muito mais com elas quando dialogamos sobre os nossos pontos de vistas. É claro que devemos dizer não quando são nocivos.
    Adorei.
    Dias iluminados para você.
    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Elisa!
      Acho que temos que preservar os nossos valores de família. Não existe modinha de valores. Com os valores aprendidos, eles mesmos no futuro saberão administrá-los ou pelo menos terão ética suficiente para ter jogo de cintura perante outros valores.
      Beijus,

      Eliminar
  30. Um texto muito bom para se refletir. Creio que quando se fala com um adulto devemos dizer sim ou não buscando ser mais justo possível para a ninguém prejudicar.
    Quando se fala com uma criança, creio que devemos sempre buscar através da ternura uma reposta que seja sim ou não, mas sempre mostrando o porque dentro das limitações de entendimento da criança, procurando fazer que ela se sinta feliz com o que lhe foi dito.
    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Élys!!
      Você disse tudo!! Com as crianças devemos agir com ternura, pois estamos alimentando o que no futuro essa criança será ou sentirá sobre o seu passado.
      Beijus,

      Eliminar
  31. Aqui em casa, a criança menor tem 13 anos. Hoje é o dia natalício de Kaio. Faz 18 anos, Segundo ele, a maioridade não quer dizer nada, pois, nada o fará sair daqui para muito longe. No máximo vai estudar nalgum lugar e vai voltar.

    Eu tenho meus valores e não transigir com meus filhos nenhum deles. Valores não são negociáveis. E muito me alegro em vê-los seguindo seus caminhos tendo valores morais, éticos, espirituais ajuntados às bagagens deles. Não foram obrigados a adotarem a honra, a moral, a ética, respeito às pessoas.

    Certo dia, PH o mais moço pediu a mãe para ir para a chuva e a mãe disse não. Eu o chamei de lado e disse:

    - Pedro! Tem certas coisas que não se pede às mães. Vai lá e faz. Se ela achar ruim, você já fez mesmo.

    Minha sogra me repreendeu: Isto é coisa que ensina a estes meninos Adão. Eles já não são flor que se cheira, e você ainda ensina suas treitas.

    Bem! De lá pra cá, PH aprendeu. As vezes, devemos fazer o que se deseja, e arcar com as broncas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Adão!
      Mas é isso mesmo, valores são inegociáveis. Mas aqui falo também de coisas pequenas que na proporção da mentalidade da criança, pode ganhar outras nuances e torná-la insegura perante a vida.
      Muito bem, heim? Arrumando confusão com a patroa... rs.
      Mas é isso, a confiança se adquire também com a cumplicidade. Pais autoritários estão com nada!!
      Beijus,

      Eliminar
  32. Oi, Luma!!
    Que interessante...crianças que não sabem ouvir não me dão nos nervos...
    E o pior, tenho a maior dificuldade de dizer não aos adultos!!
    Bjos!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Carol!
      Criança mimada é aquela que fazem manobras com pais que não são firmes, que na mesma hora que dizem não, também dizem sim.
      A vida nos ensina a dizer não. Vai ver!!
      Beijus,

      Eliminar
  33. Um texto muito interessante, esclarecedor e por vezes difícil de ser executado...
    Infelizmente crescemos dessa forma, dizendo não aos de dentro e sim aos de fora... um processo que precisa ser mudado.
    Obrigada por dividir!
    Um bejim pra você!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Amehlia!!
      Uma negativa para a criança deve ser sempre seguida de explicação. Com o tempo, a própria criança passa a imaginar o porque do não e as explicações não serão mais tão necessárias.
      Magoamos muito quem amamos com essas negativas e por educação dizemos sim até para quem ou o que não devíamos.
      Beijus,

      Eliminar
  34. Já conversei muitas vezes com a Carol sobre esta "atitude positiva" dentro de um relacionamento. Começa no casal, para ser transportado de maneira real / concreta / sensata aos filhos. Durante o ano ela me mandou o livro "as 5 linguagens do amor" (Gary Chapman) que passa também por esta questão, de estar atendo as mudanças ao redor, as suas e a do outro, para não congelar uma imagem / momento / situação de uma pessoa e num dado momento não estar mais com ela por não ter compreendido que a vida é uma evolução constante, para nós todos. Assim tratamos bem aqueles que são proximos, e evitamos os desnecessários. Beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Tony!
      O não cria barreiras que fecha a porta do diálogo. Estamos evoluindo sempre e a troca se faz espontaneamente quando as portas estão abertas.
      Beijus,

      Eliminar
  35. Vim agradecer teu carinho pelo niver! Obrigadão! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Você é uma graça, Chica!!
      + Beijus,

      Eliminar
  36. eu tenho que a prender o contraio, a dizer sim, a ser mais diplomática, a mentir,
    a dizer sim, quando na verdade tenho vontade de gritar nao rs
    Luma eu não vejo a casa brasileira, vivo na Itália,e para ver os canais brasileiros, tem que pagar,e caríssimo.
    mas fiquei curioso e vou procurar no santo youtube.

    bacione

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Edna!
      Fingir é sempre ruim, pois mutila as nossas verdades.
      Eu deixei o link para você no post atual do seu blogue.
      Beijus,

      Eliminar
  37. Perfeita esta postagem para uma longa e profunda reflexão, para estas duas situações que as vezes nos deixa em desespero. O também é difícil Luma, porque ao dá-lo muitas vezes estamos de encontro às nossas concepções e ou valores. Dever-se-ia nos preparar deste criança a dizer o sim ao sim e o não ao não sem nenhum tipo de sofrimento. Há quem pense ser mal educado quem diz o não ou mesmo indelicado diante de uma generosidade ou tentativa de agradar oferecida por alguém. É mesmo complexo estar entre o sim e o não.
    Gostei.
    Um carinhoso abraço de paz e luz amiga.
    Bjo de paz e luz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom senso nunca fez mal a ninguém!!
      :D
      Beijus,

      Eliminar
  38. Oi Luma, eu tenho uma imensa dificuldade em dizer não! Às vezes ou mts vezes sofro com isso, porque tem pessoas que aproveitam da situação e quem está de fora vive dizendo que sou boba! :(
    As pessoas acham que pelo fato de eu não ter filhos eu estou disponível 24 horas do dia, 7 dias da semana e não é por aí! Há momentos e momentos para o sim e para o não, basta usar o bom senso! Estou aprendendo a cada dia e lendo o seu post aprendi um pouco mais! Obrigada pela partilha!
    Bjs ♥
    www.viveraprendendo.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Sileni!
      Que situação! Mas não escute as pessoas e faça aquilo que seu coração mandar. Se não tiver outro jeito, pense pelo lado positivo da situação; na confiança que estão lhe depositando. No caso de cuidar de crianças, diga nem sim, nem não e se não tiver jeito, aproveite!!
      Beijus,

      Eliminar
  39. Amiga, quando me deparei com o título do seu post logo pensei: "Aí vem puxão de orelha pra mim!" (rs*)
    Explico: ta aí uma pessoa que tem uma dificuldade ENORME de dizer não - euzinha, aqui!
    Seja para meu filho, para os outros ou mesmo para mim mesma, porque tenho o dom (terrível!) de me reprimir em certos aspectos.
    E porque o equilíbrio é que é a palavra-chave pra tudo em nossas vidas, não me canso de correr atrás dele! Não desisto de encontrá-lo!
    E eu sei que posso chegar lá.
    Desejo muita luz pra você. Com carinho. Porque a sua luz (especial!) já recebemos sempre que temos a alegria e a benção de visitá-la!
    Lindo dia, amiga!
    Bjs e Deus abençoe!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Karin!
      Opa! Não sabia... Mas você vai mudar! Eu também não sabia dizer não, até perceber como as pessoas são folgadas e aproveitadoras.
      Obrigada pelo carinho!!
      Beijus,

      Eliminar
  40. Luma,começo dizendo SIM pra vc,amiga amada! Que belo texto! Fico até repetitiva!...rss...as crianças querem simplesmente ser amadas,ter nossa atenção e carinho,é tão facil lidar com elas! Os adultos adoram complicar com seus livros de metodologia, de psicologia e tantos ias...rss...temos que ter conhecimento científico,mas principalmente usar a intuição,o olhar,os sentidos, ouvir,tocar...assim a criança entende.Sempre é importante lembrar que podemos aprender muito com as crianças! bjs,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Anne!
      Você tem a capacidade da observação, coisa que muitos pais não tem. Alguns simplesmente não olham para seus filhos e vivem correndo! Daí quando a coisa degringola, procuram pelos "ias".
      As pessoas precisam abrir espaço em suas vidas para o diálogo!
      Beijus,

      Eliminar
  41. Qdo criança meu pai dizia não pra tudo , mas explicava o porque, assim a gente ia entendendo e querendo crescer rápido para trabalhar e ajudar , hoje tudo diferente , já tive um pouco de dificuldades com meus filhos, e com o neto então?....bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Lena!
      No passado todos passavam por dificuldades juntos e não tinha essa febre de consumo. Podemos dizer não para as coisas fúteis mas nunca para o que é mais importante na vida em família.
      Beijus,

      Eliminar
  42. Palavras necessárias no tempo certo...elas nos «fazem» ser sociais.

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso aí, Ana! Mas alguns pais ao invés de procurarem pelas palavras certas, ao menor sintoma de dificuldade, logo dizem não. Que tal dizer: Não sei?
      Beijus,

      Eliminar
  43. Que post maravilhoso!
    Se houvesse uma escola preparatória para aqueles que querem ser pais/mães (coisa que as vezes acho que devia existir), esse seu texto seria leitura obrigatória.
    Parabéns!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Gi!
      Também acho que deveria existir escolas para pais, antes que eles se decidissem a serem pais. Isso encurtaria sofrimento de muitas vidas!
      Beijus,

      Eliminar
    2. Entendi perfeitamente o que voce quis dizer Luma querida, com esse lindo post: nunca diga não ao pedido de amor de uma criança, das suas e se puder, de todas que te pedirem. Não é importante para dar limites. Mas amor não precisa de limites. Entao é sempre estar de braços abertos as necessidades de afeto, carinho , atenção dos nos filhos, mimá-los bem, como disse voce.
      Mil beijos,

      Eliminar
    3. Oi, Lalinne!!
      É isso mesmo, não devemos negar o pedido de amor para qualquer criança!
      Beijus,

      Eliminar
  44. Luma eu entendo que não saber dizer não ou sim na hora certa acarreta em comportamento inadequado das pessoas. Eu sempre tive muita preocupação em ouvir, deixando sempre claro que isto não significava aceitar ou concordar. Mas ouvir os "motivos" de qquer criança para determinada atitude, significa vc aprender a entendê-la.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Raquel!
      A sua atitude é perfeita! Saber escutar é uma coisa que muitos pais não sabem fazer, pois prejulgam no altar de suas experiências de vida :D
      Beijus,

      Eliminar
  45. As crianças merecem tudo de bom.
    Umas vezes "SIMS" outras vezes "NÃOS"...
    Há uma coisa que é importante: as crianças não são propriedade dos pais; estes não têm quaisquer direitos, só têm deveres perante os filhos.
    Excelente post.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Love!
      Ainda não tinha pensado sob esse ponto de vista e está corretíssimo!!
      :)
      Beijus,

      Eliminar
  46. Luma,
    o matéria que você apresentou é muito boa para se refletir.
    Vou guardar estas dicas.

    http://tiribadas.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Adriano!!
      Bom te ver por aqui!
      Que bom que você gostou!!
      Beijus,

      Eliminar
  47. O dever dos pais é educar e o " Não" o "SIM" fazem parte, mas penso que,devemos explicar o porquê do " NÃO". Cria um laço de confiança.
    Bjs Luma. Ótimo post.
    Lúcia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi, Lúcia!
      Pois os pais dizem "sim" ou "não" conforme seus humores. Isso não é educar!
      Beijus,

      Eliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor