O "'não' dos gauleses" na imprensa européia

asterixOs jornais europeus deram diferentes enfoques à rejeição da Constituição européia na França.

Para o diário parisiense Libération, o voto popular desmascarou a União Européia como um quartel-general do ultraliberalismo e a falta de prestígio de uma classe de políticos franceses acostumados a enterrar a cabeça como avestruzes.

O diário conservador francês Le Figaro também anunciou o fim da era Chirac e perguntou até quando a França poderá se opor aos avanços do mundo industrializado e continuar defendendo um modelo social incapaz de questionar seus próprios privilégios.

O diário britânico conservador The Times interpretou o "não" dos franceses como uma reação ao pretenso fracasso da união monetária da UE, que "até agora só ocasionou um desenvolvimento econômico lamentável, desemprego em massa, o refortalecimento do protecionismo e uma atmosfera propícia para extremistas".

O jornal liberal de esquerda The Independent, também de Londres, considera uma ironia o fato de serem justamente os franceses, os principais mentores do processo de unificação européia, a vetar a Constituição comum.

O jornal suíço Neue Zürcher Zeitung ironiza o resultado do plebiscito como "revolta na aldeia dos gauleses" e prevê uma ampla discussão européia sobre o sentido dos plebiscitos. O La Repubblica, de Roma, considera a crise desencadeada pelo veto francês a mais grave em aproximadamente 50 anos de União Européia.

Para o Tagesspiegel, de Berlim, o diagnóstico realista após o "fiasco do referendo" na França é: "A Constituição européia está morta. (...) Respeitar o voto dos franceses só pode significar o fim do processo de ratificação e declarar a morte da Constituição. Continuar a ratificação só fortaleceria o sentimento de impotência diante de um projeto, o que contribuiu para o clima antieuropeu na França
".

Pesquisas de opinião advertiram nas últimas semanas que os eleitores aproveitariam o plebiscito para protestar contra o presidente Chirac e o governo Raffarin, colocando, assim, as bases para as eleições presidenciais de 2007.

Chirac, no entanto, ressaltou várias vezes que a vitória dos críticos à Constituição européia não seria motivo para renúncia. Observadores políticos acreditam que o bode expiatório deva ser o primeiro-ministro Jean-Pierre Raffarin.

Hoje (31/05) Dominique de Villepin foi designado novo primeiro-ministro pelo presidente da França, Jacques Chirac e enfraquecido explicou suas decisões aos franceses em uma transmissão por rádio e televisão às 15hs – horário de Brasília. Chirac advertiu que o "não" francês obrigará seu país a ficar marcando passo, enquanto a Europa avança.

O veto dos franceses à nova Constituição da União Européia, no plebiscito de domingo (29/05), não significa o fim do processo de unificação da comunidade. Provocaram sim foi uma crise que está sendo repercutida negativamente em toda a Europa. A recusa de um país que foi um dos motores da idéia durante mais de 50 anos, não representou um fracasso do projeto constitucional da EU, visto que o processo de ratificação continua conforme o planejado.

Observadores políticos vêem que o resultado pode influenciar os próximos plebiscitos, como o da Holanda, nesta quarta-feira (01/06). Seguem-se Luxemburgo (10/07), Dinamarca (27/09), Portugal (outubro de 2005). Reino Unido e Irlanda não têm data marcada para seus referendos, enquanto na Polônia e na República Tcheca ainda não foi decidido se a ratificação será mesmo por plebiscito. Em todos os demais países-membros, a ratificação se dará por decisão parlamentar.


A Espanha foi a primeira a aprovar o documento através de plebiscito, no dia 20 de fevereiro. Em outros oito membros da União Européia, a aprovação se deu em nível parlamentar: na Alemanha,no final de maio e, antes disso, na Eslováquia, Áustria, Grécia, Itália, Lituânia, Eslovênia e Hungria.

Afinal, nove países, já oficializaram a adesão à Constituição européia e o prazo geral de ratificação só expira em novembro de 2006. Depois disso a comunidade reavaliará a situação em um encontro de cúpula. Dando continuidade ao processo de ratificação e a conclusão de que não poderá haver uma renegociação, a França terá que reforçar os pontos em comum que estimulam a Europa. O encontro de cúpula da UE em meados de junho será momento adequado para discutir a questão.

Após o término do processo de ratificação, os países contrários à Constituição européia devem sugerir possíveis soluções ao impasse, respeitar a soberania nacional e as decisões democráticas dos países da comunidade. O ideal seria realizar um plebiscito geral sobre a constituição, evitando influências de questões políticas internas dos países membros sobre o processo de unificação da Europa.

E se você me perguntar o que eu tenho com isso? vou lhe contar uma historinha de 3 cidadãos:

Dizia um inglês para um francês e um brasileiro:
- O meu avô era tão alto que esticava o braço e acertava os ponteiros do relógio da torre de Londres.
E o francês:
- Mais alto era o meu avô que esticava o braço e passava com a mão acima da Torre Eiffell
E o brasileiro:
- E teu avô quando passava com a mão acima da Torre tocava numas bolinhas não era?
- Era era - responde prontamente o francês.
- Pois essas bolinhas eram os tomates de meu avô ...

O Brasileiro é auto suficiente e não precisa entender o mundo?

Beijus,

28 comentários :

  1. Europa unida? Mercosul? Fraternidade? Qual-o-que, minha querida amiga...a humanidade ama as fronteiras... Bjs.

    ResponderEliminar
  2. Eu leio os psots da semana depois com calma...apssei só apra agradecer a visita e provar que eu não sou uma menina mau educada. Bjs

    ResponderEliminar
  3. olha, agora a holanda tmb foi contra rsrsrsrs

    ResponderEliminar
  4. Alguma coisa eles perceberam que estava errada.Ou então são birrentos mesmo.

    ResponderEliminar
  5. Acredito que a UE era uma utopia de uma minoria que quer lucrar com isso, a Europa é uma colcha de retalhos em matéria de homeogeinidade e não acredito que possa existir uma União coesa como eles imaginam... Bem, e o brasileiro?? Tamo esperando a Copa, essa tá no papo!! rs..rs...

    ResponderEliminar
  6. Oi Luma...to dando uma passadinha rápida só pra naum deixar de te visitar...hj ta sendo um dia muito difícil...bjinhus...

    ResponderEliminar
  7. Ops!
    Esqeci de comentar sobre a sequência do boneqinho no topo dessa tela.Simplesmente hilário,morri de rir aqi!
    Vlw!

    ResponderEliminar
  8. Luma,nem sei como vc me achou mas obrigado pelo comentário!Queria saber mais de vc pois adorei seu texto e a forma como vc aborda os temas desde os posts românticos até esse bem politizado.
    Qto ao veto frances ñ estou interado sobre o conteúdo dessa constituição mais creio q deve ser uma ferramenta q irá aumentar a desigualdade e pobreza no mundo.Acredito q a França será o futuro centro de decisões do mundo e depois de um (cataclísma) virá a ascenção do Brasil.Parece besteira mais qem viver verá!
    Bjão!E visite-me qdo qiser!

    ResponderEliminar
  9. Ai cara, nao entendo nada desses assuntos, entao nao tenho como opinar...rsss
    Bjos

    ResponderEliminar
  10. Os franceses não são os únicos a não desejarem a constituição européia... isso ainda vai dar muuuuito pano pra manga

    ResponderEliminar
  11. Valeu pela aula. E essa história do veto Frances ainda vai render muito!!

    Beijos e boa tarde!!

    ResponderEliminar
  12. O brasileiro não é autosuficiente, ele é acomodado e não faz questão nenhuma de saber sobre o mundo.
    Isso é o q eu penso.
    Big Beijos

    ResponderEliminar
  13. Luma, os franceses estão certíssimos. Quem dera tomássemos atitudes parecidas. Beijocas

    ResponderEliminar
  14. E hoje vamos ver o resultado do plebiscito na Holanda. Vai ser um perrengue pra UE e pros EUA. Espero que o mundo melhore com isso. Sonhador eu, não?

    ResponderEliminar
  15. Luma essa crítica-pergunta cabe mais aos norte americanos.

    ResponderEliminar
  16. Não sei... se for levar em conta que nossa constituição só vale no papel... e pior, fica por isso mesmo.
    beijinhos

    ResponderEliminar
  17. eu não conheço realmente o corpo da constituição criada e vetada pelos franceses, mas às vezes se concorda com algo assim apenas para não ficar de fora. Talvez o não dos franceses expressem realmente que as perspectivas da nova carta e da unificação não são tão boas nem tão corretas como seus vizinhos sinalizam. A visão de muitos sobre ser uma espécie de decepção a mudança de linha de intenção da frança neste movimento unificador europeu, eu vejo como simplista e é de fato a primeira coisa sempre a se fazer, que é criticar. Eu particularmente acho que mudar de idéia muitas vezes é questão de luz e inteligência. Não sei se é o caso, risos, mas a visão deve ser sempre ampliada e questionadora.
    beijos e girassóis,
    Rah

    ResponderEliminar
  18. O problema é que aqui no Brasil não levamos nada, mas absolutamente nada a sério, somos muito influenciaveis e arrogantes...Os franceses fizeram o que achavam ser o certo, mas só tempo dirá, n´est pas?! Bissous!

    ResponderEliminar
  19. O brasileiro é meio" esponja" absorve de tudo dos países europeus:moda ,arte,política ,literaturac​ulinária,idioma,etc.
    Ainda é "chic" fazer MBA fora...
    Sem falar nos Estados Unidos!Outro dia minha filha me questionou :"mãe nós tbem somos Americanos ,não nascemos na América do Sul ?"
    Vai gastar tempo mas vamos chegar aonde queremos ...

    ResponderEliminar
  20. O NON frances tem varias caras. Tem um pouco de insatisfaçao com a Europa e principalmente com as instituições francesas, tem um pouco de xenofobia, contra os novos paises da união, um nao a entrada da Turquia, em fim, dificil de resumir. A crise e grave, a constituiçao esta morta, infelizmente. Pra nos latinos americanos, que sonhamos com um modelo social a moda francesa. Pra finalisar eu sempre achei ridicula essa ideia que o brasil e auto-suficiente. Isso e fruto da influencia norte americana que pratica uma politica completamente hermetica.

    ResponderEliminar
  21. oi luma, obrigada pela visita no café.
    os franceses são um povo difícil... eu convivo com muitos deles aqui.
    a eleição foi bem apertada na verdade, mas ainda assim o resultado foi negativo.
    beijoca

    ResponderEliminar
  22. Acho que o estereótipo de continente modelo, lotado de pessoas felizes e saudáveis, ostentando governos e economias brilhantes está cansando os europeus e o resto do mundo.

    O que é preocupante é o fato de que não existem modelos que possam servir de modelo para a quebra de paradigma tão necessária. Fazer o quê?

    Só uivar ao pé do teu ouvido, para delírio ou loucura de quem gosta ou não gosta.

    Beijoooooooo​ooooosssssssssss da Loba

    ResponderEliminar
  23. Engraçado que não se tem nem mais o direito de reprovar certas coisas...

    ResponderEliminar
  24. Luma, não adianta dizer que não, com o grande avanço da globalização, ou mundialização, como gostam de dizer os freanceses, quaisquer fatos que afetam outros países, direta ou indiretamente, afetarão o Brasil. É muito provável que realmente o plebliscito na França influencie os demais países da UE, se há uma crise em potencial com eles, que pareciam estar se solidificando a cada dia, que dirá no resto do mundo? Mas como sempre, a França tem seu histórico de pioneirismo, haja vista sua revolução industrial e política , que ocorreu 100 anos antes do que em outros países.

    ResponderEliminar
  25. o brasileiro é safo, e tem o jeitinho pra tudo, o famoso jeitinho brasileiro.

    beijosssssss

    ResponderEliminar
  26. Os franceses estão atrapalhando o apocalipse.

    Quando houver a unificação o anticristo surgirá e trará a paz.

    Quando ele trouxer a paz, saberemos que estamos todos condenados ao inferno.

    Beijú!

    ResponderEliminar
  27. Realmente , eu acho que a Constituição não ser aprovada pela França provocará uma grande crise na UE. Eu daria minha guitarra de papelão pros franceses , mas não dá pra generalizar! :D

    Bjs!

    PS:Eu postando sobre o Asterix e vc vem com um título desses... hehehhe

    ResponderEliminar

Tenha identidade, não seja anônimo na web. Crie sua identidade virtual.

...bisbilhotaram em quietude, sem solidão

PlagSpotter - duplicate content checker tool
Licença Creative Commonsget click

Algumas coisas não têm preço


finalista the weblog awards 2005finalista the weblog awards 2006
finalista the weblog awards 2007weblogawards 2008
Verificar conteúdo duplicado

Me leve com você...

Leia o luz no seu celular

Copyright  © 2014 Luz de Luma, yes party! Todos os direitos reservados. Imagens de modelo por Luma Rosa. Publicações licenciadas por Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial- Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil License . Cópia somente com autorização.

Tem sempre alguém que não cita a fonte... fingindo ter aquilo que não é seu.

Leia mais para produzir mais!

Atenção com o que levar daqui. Preserve os direitos autorais do editor